domingo, fevereiro 11, 2007

C'AIS

Ah, Beira do mar,
Que me fala do amor
Nessa hora do sol se pôr...

Há um buraco no céu
Amarelo
Há um bucólico ao chão
E a maré logo sopra sua brisa
Um tanto fria, um tanto leve, um tanto boa
Suave marca do fim de um dia
Passado assim, meio à toa
Cantado assim, meio ausente
Na lembrança de um sol, que fora quente
Mais ainda queima
Meio assim como minha mente
Que teima, que teima, que teima.

6 comentários:

vanessa_fmc disse...

"Na lembrança do sol
Que você teima em pensar
Pegue a isca e o anzol
Para novamente pescar

E que seja um velho
Ou talvez um novo amor
Verá o mar espelho
Refletindo quem for"

Tentativa de interagir com a sua bela e emocionante poesia. Destaque para os 4 últimos versos. Tocantes!!

Beijos,

Vanessa.

Múcio Góes disse...

teima, teima,
teimar, sina
da maré,
no vaievem,
teima, teima,
teimar é do mar.

belo, Jardim.

[]´s

Aline disse...

Passado assim, meio à toa
Cantado assim, meio ausente,


Deu pra ouvir uma viola chorando de fundo.

Lindo! Emocionei-me.

Beijos.

mary disse...

Lindo, Jardim!

Um fim de dia com brisa do mar é simplesmente delicioso! ;)

Beijosss

A czarina das quinquilharias disse...

bom, bom.
um dos melhores teus que já vi :D

moacircaetano disse...

Só o título já vale uma poesia inteira!
Grande Mr. Gardener!