quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Das nossas trilhas

Hoje, eu tenho o prazer de colocar aqui um belíssimo poema de uma conterrânea minha!
Com vocês: Luzzsh!

(Adoro dizer isso: Luzzsh! Até pronuncio em voz alta enquanto escrevo isso!) =P


Viver pode ser qualquer coisa
de uma flor lilás a uma azeitona.
dentre tantas possibilidades
pode ser assim, comezinha,
estrada débil que guarde em seu final:
simplesmente a morte-fim-ocaso;
portal austero e laureado para outra vida,
uma passagem só de ida para o céu
(ou outra escala menos aprazível -
esteja atento ao seu bilhete).
Viver pode ser ainda leda seara que,
criando-se conforme nossos passos
termina por nos levar de nós, a nós.
Viver só dói quando é com afinco.
Se não doer nunca, preocupe-se.
Se jamais latejar, espreite, vigie-se;
talvez você sofra de um mal comum
chamado “medo paralisante de errar”,
também conhecido como “estagnação
no meio termo”. Cuide da boa saúde
do seu caminhar, sem muito medo,
(um pouco, é sinal de bom senso).
No fim, sofrer são apenas exercícios
necessários para pôr a alma em forma.
e talvez afinal, não conte o chegar
conte é a paisagem apreendida
a duras mas memoráveis penas
que farão de ti o que serás. Ou não.
Alegrias? Haverão milhares, lancinantes,
mas é preciso merecê-las. Esteja pronto.
Via de regra, essa picada a que chamamos vida
se abre mesmo é na foice, na garra, sozinho.
Mas não se preocupe (tanto)
alguns outros irão ao teu lado,
assim como tu, a esbarrar em erros e acertos.
Estes poderão dar-te abrigo em dias
de cansaço, desalento, preguiça ou outros
desperdícios a que tende o ser humano.
Estes teus iguais lembrar-te-ão, na hora exata,
que somos sós, mas que estamos juntos.
Estarão por aí, e revelar-se aqui e ali quando
invocados por sua alcunha secreta: “amigos”.



A maioria que visita este blog já deve conhecer Luzzsh! Mas, para os que porventura não conheçam, prestigiem mais escritos desta poeta maravilhosa em:
lumevagante.blogspot.com

9 comentários:

Jefferson de Souza disse...

E, com vocês: Luzzsh! Aquela mesma que vai num sarau regado a vinho e poesia... E bebe refirgerante! Que é pra poder voltar pra Sorocaba dirigindo o caminhão-guincho que rebocou o carro dela até lá... =P

Múcio Góes disse...

Ah moça bonita essa, essa que traz no codinome essa nuvem de vagalumes, e tem o dom de instigar, sua poesia é pulsante, cheia de vida, verdade, alegria. Bom presente pr´essa quinta.

Muti bom!

bjss²

Luzzsh disse...

Hahaha....é verdade, Fejones! Eu não tinha pensado nisso...fiquei só no refri pra dirigir na volta e voltei foi de caminhão!....

(Obrigada por palavras tão queridas!...)

Beijos...

Leandro Jardim disse...

e não é que ela tem mesmo o dom de iluminar
ou seria iluminada
ou seria só lu
mina das de ouro em poesia
lâmina dourada que até guia
até quando é guria
como na lembrança inventada
em que peneirava alguns pesares
e ria

ótimo poema
grande Fejones
linda Luzzsh
beiJabraços
Jardinzin

Juliana Pestana disse...

Ah, delícia.
Linda discursando sobre a vida. Lindo fim de poema.

Bjos pros dois queridíssimo.

Juliana Pestana disse...

*queridíssimoS!! rs

moacircaetano disse...

Raio de luzzsh na minha quinta-feira!

fabio jardim disse...

esse poema veio num momento que precisava lê-lo. muito bonito!

Aline disse...

Perfeito, Jeff.

Essa menina escreve com uma caneta que é só dela, sentimento a flor da pele.

Beijos.