sábado, fevereiro 03, 2007

chu( g )v( o )s( z )o

moacircaetano & alhi

Fazes tempestades acontecerem
Em meu humilde céu...

Mandas a calmaria embora
E tudo se embola
Esqueço quem sou
E me torno no que queres.

Fazes momentos surgirem
Da ausência absoluta...
Fazes que queres a mim...
Fazes o que queres de mim

E quando finalmente chovo
Vens e me estia de novo.

És chuva rara
Chuva escassa
Mansa e doce
Serena e fugaz

És garoa e tormenta...
Sereno... madrugada.
E minhas ruas dormem molhadas!

E enquanto choves
Existimos.

4 comentários:

Leandro Jardim disse...

eita lindura!

e essa chuva, hein, tá que tá a inspirar... coincidência?

e ainda não consigo crer que perdi a estada de Moacir por aqui!!! Nunca vi ser ser tão elogiado!!!

Oportunidades outras hão de vir, né não Moacir?!

beiJabraços na "drupa"
Jardineiro-o-o

Sandra Regina de Souza disse...

Lindo!! Esse eu OUVI!!!! na sua doce voz... com esse sotaque goiano/mineiro...rs.. e vc deixou um rascunho dele com sua letrinha linda!! Ai que emoção lê-lo aqui!! Vocês são ótimos!!! Ficou maravilhoso!! meus beijos bandeirosos... cheios dos confetes rotineiros!! Dessa ainda mais fã!!!

vanessa_fmc disse...

Mansa e doce
Serena e fugaz
Como as suas poesias...

Que elas continuem nos molhando e nos fazendo pensar na existência...

Beijos!!!

mary disse...

Lindo! Gostoso de ler... E com cheiro de chuva eu existo também...

(Moacir, e eu te devendo a continuação da nossa parceria, né? rs... Não briga comigo que um dia vai!)

;p~

Adoro vcs dois!
Beijão.