quarta-feira, setembro 19, 2007

Brincadeira Com O Fogo

De novo!
a brincadeira com o fogo
que faz arder no meu peito
a vontade louca de sentir
o desejo em brasas de viver
o juízo insano do prazer
Aquela chama clara do incerto
que queima tudo por perto
remoendo tudo lá dentro
fazendo a ilusão parecer
uma grande e intensa diversão
Lembro uma menina
decorada com cicatrizes
assim, antigas atrizes
cantando velhas cantigas
desses atos de calor
nesse profundo sabor
salpicado pelas cores
inspiradas no amor
Só pra receber os aplausos
do cúmplice das minhas dores
no final do espetáculo
E tão rápida quanto a flama
a cortina de fecha, afinal
e a vida (re)volta ao normal...

(2 de novembro, 2005)

7 comentários:

Erika disse...

quem brinca com fogo sempre se queima... muito...

sensacionais versos.

bjos

dän disse...

E EU VOLTEI...rs. beijos, adorei seu blog e obrigada pela visita.

moacircaetano disse...

Bela retrospectiva, Nanna!

Leandro Jardim disse...

a vida sempre "revolta ao normal"!

isso é muito bom, genial!

beiJardins

dän disse...

hm... peço perdão, vi só agora q são sete pessoas...rs. bem, gostei do estilo de todos vcs... muito bom, parabens pelo talento!

*um recadinho ao Jefferson: obrigada pelo comentário enquanto eu estava ausente. bjs!

celo disse...

muito bom :] bonitos versos.
[]s
marcelo

Jefferson de Souza disse...

Bravo! Bravíssimo! =)