domingo, setembro 02, 2007

RASCUNHADO

Às vezes um pensamento vem bom,
como sino na brisa.
E o lápis, pronto, e o poema
(versão um).

Outras tantas é o branco do papel que chega
à mente sur ton.
E me sujo a rascunhar pensamentos
(menores versos).

Mas toda origem é filha da labuta.
Seja na avidez com que se traga os dias,
seja pela intenção que ganha a vida.

O irônico da coisa é o tempo
da poesia,
que quando se faz
já é passado
(a limpo).

6 comentários:

Erika disse...

a poesia qdo se faz já é passado.... gostei.

beijo

maryfoxxx disse...

Belas palavras!
;*

Jefferson de Souza disse...

Heheheheheheh...

CARACA, Jardinal!!! EXCELENTE!!!

Ellemos disse...

Gostei desse. Gostei muito! Porque é mesmo assim...

Múcio L Góes disse...

a poesia está no ar. cabe ao poeta capta-la, qd ela nao cai por si só no seu papel.

perfeito, Jardan!

[]´s

moacircaetano disse...

caramba...
essa é digna dos grandes poetas!
muito, muito boa!