domingo, setembro 16, 2007

QUE SONHO

.
.
Que sonho fui, sou, serei?

As lembranças a que me exponho
nebulosas aqui acordei.

As dores que enfadonho
são meus olhos, meus modos, sei.

E a frustração que já proponho
que não se explica porque criei...

Que sonho mais, dou, parei?
.
.

3 comentários:

Múcio L Góes disse...

lembrou-me Pessoa... e qual poeta não se alimenta de sonhos, né?

"Sonho. Não sei quem sou neste momento.
Durmo sentindo-me. Na hora calma
Meu pensamento esquece o pensamento,
Minha alma não tem alma."


O bom e sempre bom Jardan!

[]´s

moacircaetano disse...

Floresces...

Jefferson de Souza disse...

Oraora... Belíssimo escrito, mr Jarrrdim! Gostei da musicalidade dos versos!

Sou fã desse cara! =)

1[]!