quarta-feira, setembro 05, 2007

Sou país sem fronteiras
Em minha incompletude
Amistosa e enfurecida
Abrigo de incansáveis dores
Nos vestígios de emoção
Vindas de todas as épocas
Sou pátria de mim
De particulares maneiras
Sou área independente
Curiosa e calejada
Comunhão dos amores
Sou território em questão
Porto de idas e trocas
Pelo não e pelo sim
Nascente de clareiras
À procura de liberdade
Sou região temperada
Sou extensão das cores
Acompanhante da solidão
Sou zona das livres barcas
Até o meu inevitável fim...

3 comentários:

Jefferson de Souza disse...

Passamos por várias terras
ao longo dessa vida...
Muitas ficam pra trás
Muitas eu quero ainda visitar
Muitas ficaram na lembrança
Muitas são caminho

E muitas são o lugar

Hei de chegar até você! =)

Bjão, Nanna!

moacircaetano disse...

Os caminhos ainda que tristes, acabam sempre por levar a algum lugar...

Leandro Jardim disse...

bela força lírica cara Nanna!

beiJardins