terça-feira, janeiro 22, 2008

E O LÁPIS

.
De cada papo que toca o céu,
o papel.

Da tal conversa que não disperso,
o verso versa.

E à boa idéia que fácil se acha,
a borracha.

6 comentários:

Erika disse...

e tudo se torna poema.

beijo

"Oncotô? (Erika)"

moacircaetano disse...

A borracha é o homem-bombba da poesia!

Mary disse...

Perfeito! :)

Sandra Regina de Souza disse...

Grande Jardim!...E rabiscas um poema tão bem traçado a lápis! beijos rasurados de entusiasmo!

Paula Jardim disse...

Muito bom!!!!!

Vi com uma amiga e ela amou....

A ideia que fácil se acha, a borracha!!!!

Genial essa frase.

te amo, brother....

Sua simplicidade é um dos seus talento.

bjs

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Muito interessante o jogo entre o poema e o seu título.