terça-feira, janeiro 29, 2008

O cantor em dia de gravação

para Rafael Gryner

Há um certo tormento
no entretido dever
de soltar pela voz
e fazê-la instrumento.

Grave risco é gravar
o cantar de um momento.
De euforia ou lamento,
ficará velha a vez.

Se o que fez vira vento,
pó, uivo poeirento
de memória rasteira,

não há nada pior
que levar, vida inteira,
da garganta o nó.

4 comentários:

moacircaetano disse...

riscar, com voz grave, a superfície do vinil ou metal...
tornar um breve groove imortal!

Cáh Morandi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cáh Morandi disse...

que delicia de leitura*

Ellemos disse...

É para poucos esse dom. Então grave! Que importa a velhice da vez?

Ficou lindo, Leandro!

Um beijo!