terça-feira, janeiro 15, 2008

SOMBRAS

Não me sobra tempo,
Sobram sobras e assombrações
pelo que tento.
E sopram tanto meus ouvidos
que não consigo ouvi-las.

Sigo, então, em vão o vento,
rastejando ao chão
feito obra.

5 comentários:

Jake Mello disse...

Ainda bem que ME sobra tempo pra caminhar por aqui. E ler essa obra.

bjo

moacircaetano disse...

cobra-de-arte!

Aline disse...

deep!

Um beijo, Garden.

Múcio L Góes disse...

o que sobra é o preço que a obra cobra.

grande Jardan!

Mary disse...

Lindo, Jardim!
Adorei!

:*