quarta-feira, janeiro 23, 2008

jaz(z)

.
.
.
nóia paranóica
enrola-se do chão à cabeça
pari feito pólen
natureza morta
sobre tela póstuma
dia após dia
rotina aqui jaz(z)

8 comentários:

moacircaetano disse...

...e Aline pintando o dia
com flores e melodia...

Mary disse...

vamos pôr cor nessa tela, amor! :)

Gracy disse...

lindo d++ isso

gostei daqui

Nina disse...

Gostei do blog...nao o li todo mas fiquei pelo quase.
Parabens.

..::Andressa::.. disse...

Lindo poema!

abraços!

Leandro Jardim disse...

é a dança da vida
ao cantar da poesia

!
:)

Sandra Regina de Souza disse...

Aline!! Posso usar esses versos...?
Amei!!!
beijos

Múcio L Góes disse...

prefiro blues, mas tah lindo.


amo-lhi.