segunda-feira, abril 28, 2008

gênio do crime

Era a celebração da paz
mas assim, sem mas
as nações apenas
reiteraram seu ódio
com uma branca revoada
de pombas-relógio.

12 comentários:

* hemisfério norte disse...

bombas brancas?
ou relógios pombalinos?
paz podre
guerra fria
o dia da paz
bj
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Múcio L Góes disse...

surpresas com hora marcada.

Sabrina disse...

gênios da destruição
até que um dia se acabarão
(tomara que não)

beijos daqui...

Luiz Guilherme Amaral disse...

Muito bom!

moacircaetano disse...

...se um dia eu for encontrado no meu quarto, babando e me retorcendo todo, podem saber que é de inveja do jeito que essa moça escreve!
rs....
Te amo, Cza!

Aline disse...

com uma construção lírica como essa, até a destruição exibe alguma graça.
muito bom!

Clítia disse...

Sem tempo e sem medo da explosão..
bjs

J.F. de Souza disse...

Nunca havia olhado pra Paz
com nojo...

Edson Marques disse...

Muito muito bom!

Abraços, flores estrelas.

Anônimo disse...

Ótimo jogo de palavras!
Marcia

Mr. Ziggy disse...

E tuda essas pombas-relógio continua colorindo o céu dos infelizes de uma cor acinzentada e maldita. Amei esse caráter "maldito" impregnado na verdadedos seus versos. Bjos!

Leandro Jardim disse...

gênia do poema-humor!