quinta-feira, abril 10, 2008

grãos ao alto


Somos o que somamos,
mil danos por ano.
Somos somenos,
grandes pequenos.

Somamos bem mais
que menos;
dores a mais,
danos amenos,

E se não amamos,
salvo engano,
eis o que somos:

Nem Mars, nem Vênus.

8 comentários:

moacircaetano disse...

Droga!
Quando eu começo a me iludir, pensando que escrevo bem, vem o sr. Múcio e me dá uma aula dessas de poesia!
Saco!

Anônimo disse...

Nem conheço vocês e já fazem parte da minha rotina. Diariamente acesso o blog p/ me deliciar com algum escrito de uma das cabeças, mas hoje o Múcio abusou. Muito bom mesmo!
Marcia

(l' excessive) disse...

Múcio é MÚCIO!
Poeta com todas as letras maiúsculas!
Lindo, limdo!

Sandra Regina de Souza disse...

"danos amenos"!!! Meu!!! De onde vc tira coisas tão geniais? Ai... só me resta beijar-te!

alex pinheiro disse...

Ahhhhh,,, filho da putaaaa!!! hahahah
Costumo xingar assim, sem escrúpulos, quando gosto e não tenho o que dizer, rs
Principalmente pq é sabido meu gosto superior pela aliteração,,, Muito bom, Múcio,,, Mutio bom!

Abraços e geniais invenções!

Aline disse...

um dos mais geniais dos geniais.

perfeito!


[L]³
=*

Mary disse...

Mumu, não sei mais o que dizer pra vc...

então eu não digo é nada! ;p~

:**

(L)

Duda disse...

me cheirou a Leminsk!
e não que isso seja ruim, muito pelo contrário... mt bom o poema
abraços!