sexta-feira, dezembro 19, 2008

etéreo

cobri-me de rosas
colibri-me

11 comentários:

Marrí disse...

cheiro de jardim**********

J.R. Lima disse...

lindo, isto!
fica revoando por aqui:

tu
colibriste?

eu
colhi brilhos!!

E o poema vai e volta e fica:

plantei flores,
colhi bris...

Um abraço!

Beatrice Jasmin Noire disse...

Colibriu-me também =)

Múcio L Góes disse...

bem ao estilo PQP!

[loviú, ouviu?]

:*

Rayanne disse...

De tirar o fôlego.
Beijo-florido.


**Estrelas**

moacircaetano disse...

voando, desizando, flutuando entre tuas palavras e teus significados...

Grazielle disse...

Todos os beija-flores agradecem...
lindo

ADRIANO NUNES disse...

Mary,


Belo poema!


Adriano Nunes.

Alex Pinheiro disse...

Eu nunca vi
um colibri
mas abrí-me
de rosas
num etéreo poema
que vivi.

Eaê, Mary,,, vamos começar a brincadeira, então!!! Tô correndo ladrão de curiosidade, rs

Bjs e agradáveis invenções!

Pavitra disse...


é por isso
que mari pousa!

A czarina das quinquilharias disse...

lindo!