quarta-feira, janeiro 07, 2009

essência

não sou ninguém
até que provem o contrário
sinto-me um soluço
algo preso
estrangulado
limitado em uma respiração
um verbo esmagado
em uma oração mal feita
reticências de um parágrafo nu
sou e nada sou
um eixo sem variáveis
vagando em dimensões
disperso
sem lembranças
algo assim, vazio
sem presenças
desprovida de movimentos
inerte e inerente
pertenço a tudo
mesmo sendo nada.

11 comentários:

J.R. Lima disse...

...mas, afinal, o que é "ser"?

...sinto como se o nada estivesse em tudo...

No mais, fica um abraço.

Ellemos disse...

Tenho um poema começado (tenho vários poemas começados...)com este mote... É uma sensação meio constante aqui...

Beijos!

Múcio L Góes disse...

o bom é pertenSer.

=*

moacircaetano disse...

você é tudo! tudinho!

Sandra Regina de Souza disse...

Parece "continuação" do meu "Amanhã"!!!... Adorei, Aline!!!

Marrí disse...

É. O que escreves... é!

Lubi disse...

hum, minha flor.
acho que sentimento de não ser é sensação cada vez mais constante em todos.

um beijo enorme.

J.F. de Souza disse...

Essência
é pra sentir

Ao tentar absorvê-la
a essência se perde

E o nada se desfaz
em qualquer coisa que queiramos

J.F. de Souza disse...

=*, qrida!

J.F. de Souza disse...

Só pra destacar: EU QUERIA TER ESCRITO ALGO ASSIM!!! =)

Mary disse...

você é tudo! e eu amo! :*