segunda-feira, janeiro 19, 2009

querida, estiquei o bebê

Eu assumo,
você,
que era o suprassumo,
trem-bala
na boca
sem rumo,
dissolve
e resolve
marcar touca,
perder o prumo
virar coisa pouca
deslizar na garganta.
Se esqueceu que é giganta
e que é porra-louca.
Se deixa encolher
e ser engolida
num canto fungando
e lambendo as feridas.
Nem parece que era
A minha
marida.

5 comentários:

Luiz Guilherme Amaral disse...

Interessante...

Alex Pinheiro disse...

Coisa das sensacionais!!!
Rápido assim que decidi não ler além do úlitom post na página, visto que estou todo atolado, rs,,,, Mas fui levadão pela maré da inteligência com a letra e não resisti um comentário, rs

Adorei mesm/ão!

Bjos e geniais invenções!

Mary disse...

versos de czarina... adoro! :)

Múcio L Góes disse...

a cara dela.

rsrs

J.F. de Souza disse...

Interessante... [2]

=P