sábado, janeiro 17, 2009

Sina

O problema da velhice
não é o envelhecermos nós.
É que tudo envelhece ao redor de nós.
E o que era vermelho se torna cinza.
E o que era viço se transforma em pó.

E de repente
nos vemos rodeados
de tudo que é velho e antiquado.
Velhas roupas, velhos móveis, velhas idéias,
um velho modo de pensar, emoções velhas,
discos de vinil, fitas cassete, máquinas analógicas,
máquinas de escrever e manias escleróticas.
Tudo nos acompanha rumo ao fim.

E tudo conspira pra que seja assim.

8 comentários:

Caito disse...

Vim trocar meus problemas por poemas, o que me da direito a varios! òtimo blog, adorei.

Abraço!

J.F. de Souza disse...

Nasce, germina, cresce, definha
Começa, segue a história
e termina
Tudo finda
Essa é a sina

-----------------------------------

Moa, meu qrido! Mto bom esse aqui! Curti demais!

1[]!

Flávia Muniz disse...

O bom da vida é a possibilidade de renovação!!!!

bj

Múcio L Góes disse...

eis oq somos, mero pó rumo ao pó.

Moa, nota 11 pro teu poema!

=]

Lubi disse...

Adorei, Moacir.
Saudade de você.

Abraço.

J.R. Lima disse...

Muito legal, rapaz!!

pó rumo ao pó, se molhar, vira barro, do barro, o homem...

Tudo fica velho e ao redor do velho, há sempre algo novo...

Um abraço!

A czarina das quinquilharias disse...

faz parte, faz parte...

Mary disse...

me sinto tão velha... :P

moa, querido, perfeito!

:*