segunda-feira, março 09, 2009

.e vai.

e eu vou julgar os livros pela capa que têm e as pessoas pelos livros que lêem. mas eu vou amar por motivo algum, por simpatia ou por esperança. e eu amando, eu vou perdoar e abraçar forte e beijar estalado e defender a qualquer custo e quem eu amo vai saber disso e não vai importar (muito) os livros que quem eu amo leu. e eu vou não simpatizar com um monte de gente, que são burras e chatas e só-casca até me provarem o contrário. e a maioria não vai provar e eu vou ficar impávida diante das tentativas de agrado e de conquista, será mais forte do que eu e eu vou condená-las pelos livros que leram e pelos que deixaram de ler. e eu vou não conseguir falar um monte de coisa que eu consigo so escrever aqui e um monte de outras coisas que eu so consigo sentir e nunca vai ter nome que o diga. e vou querer que as pessoas entendam o que eu digo quando eu nao digo. e eu vou falar ironias e piadas e até palavrão e coisas safadas quando na verdade eu queria dizer pra casarem comigo e me abraçarem e me falarem que fica tudo bem, calma que fica tudo bem. e eu às vezes vou sorrir amarelo quando eu quiser que alguém exploda mas quem souber ver vai ver no fogo dos olhos e na veia do pescoço que eu tenho pensamentos violentos e subversivos. e eu vou ficar com os olhos cheios quando eu estiver na antena e quiser cair nove andares e só quem estiver perto o suficiente vai ver. e perto o suficiente nunca vai ser perto suficiente. e eu vou sentir saudade e vou querer ficar sozinha e vou me sentir bem. e eu vou chorar quando eu me sentir sozinha demais de dar medo medo e vou ligar pra quem nao se deve ligar, porque tem coisas que a gente nao deve fazer e ponto. mas eu vou fazer porque eu sou assim. e não vou arrepender, porque eu tenho essa mania de me perdoar pelos erros porque eles ensinam e eu sou uma pessoa melhor depois deles, e eu vou ter que aprender que nem todo mundo é digno de perdão porque tem gente que não melhora, só faz errar e machucar os outros. eu vou precisar aprender a nao perdoar, mesmo que eu ame, e aí vou ter que nao amar, mas é difícil e aprender demora e dói. eu vou chorar e vai ser dificil parar, porque eu sempre choro assim, torrencialmente. e eu vou odiar esse blog quando eu sentir que me expus demais e que por isso perdi o charme. e eu vou chorar de rir e ser feliz com as pessoas que os bárbaros condenam por terem cabelos rebeldes ou não seguirem o guia de etiqueta da gloria kalil. e eu vou me sentir miserável por esse corporativismo e esses sapatos altos e vou sentir falta da arte e de andar descalça. e a arte vai me procurar e eu vou poder respirar e será bonito. eu vou ter a tristeza do mundo todo alguns dias, e qualquer coisa vai me defenestrar nove andares: o aquecimento global, a fome na áfrica, a secura do sertão, 27 reais, o metrô que nao parou, o moço que foi deixado pela namorada, o filme bonito e qualquer beleza. mas vai passar e eu vou colorir as coisas de novo. e eu vou usar a palavra defenestrar e a palavra soerguer-se sempre que couber. e eu vou usar metáforas pra tudo ser mais bonito e charmoso, porque é com esforço que a gente colore as coisas. e eu vou não fazer parte da reação em cadeia dos quebradores de coração. eu vou interromper os processos e vou ter calma e respirar fundo, e muito. eu vou não ter pudores nem frescuras até que eu perca a motivação, que é quando eu vou ficar chata e vou ficar calada. e eu também vou ficar calada quando eu estiver feliz, porque eu não tenho medo de silêncio. só quem se esvazia tem medo de silêncio, porque aí qualquer rangidinho do mundo faz eco dentro das pessoas. e eu vou ver o amor quando houver silêncio e não precisar preencher o vazio com palavra, que não vai ser vazio mais, vai ser amor e amor não precisa de nada pra ser matéria. amor se tange, se toca e se canta. e é assim que vai ser, só porque eu disse que sim.

---

minha convidada de hoje é uma pessoa azulzinha-anil por dentro. e minha pessoa favourita no mundo todo oficialmente e extra-oficialmente.
mais textos dela você encontra no blogue dela (que morreu) www.maoscoloridas.blogspot.com
e no mui vivo twitter www.twitter.com/mirellamirella

enjoy!

8 comentários:

J.F. de Souza disse...

Sim, sim, sim!
Pessoa adourável é essa moça Miré!
Escrito adourável esse... =)

Maravilha, adourável Czarina, por trazer algo da Miré aqui! =)

=*

J.F. de Souza disse...

"só quem se esvazia tem medo de silêncio"

isso me doeu demaaaaaaaaaaais...

Lubi disse...

a bonita Mirella.

beijo pras duas.

:*

Rayanne disse...

Por que é que vocês amados vivem sempre longe?

**Estrelas na distância**

Mary disse...

que seja sim, que seja vida...

adorei!

beijoss

Sandra Regina de Souza disse...

Essa moça é mesmo muito boa... ela já está na boca do povo..rsr... (preciso conhecê-la pessoalmente!!)
Parabéns às duas: Czá, ótima escolha!! Mirela, lindo texto!! bj

moacircaetano disse...

o silêncio é matéria-prima...

milene portela disse...

uma baita sinceridade que nos premia! belo!

bjo!!