quarta-feira, outubro 04, 2006

As Estações de Mim

Os dias quentes
na pressa dos
passos, na leveza
das peças do corpo.
eu derretendo em preces.

Os dias amenos
no rosto das
gentes, no contexto
das cores da rua.
eu refrescando o peito.

Os dias gélidos
na calma dos
espíritos, na sentença
das histórias do tempo.
eu tremendo de febre.

Os dias festivos
no parque das
almas, no coração
das flores em verso.
eu revivendo a certeza.

Os dias deslizando
no meu relógio...

8 comentários:

Bill disse...

Dias leves de versos e prosa... Da delicia do fim de tarde e do cair da noite...

Dias que ja nascem bons =]

nha adorei =]

:****

Leandro Jardim disse...

Belo como um quadaro de Dali!

Múcio Góes disse...

lagartas à espreita,
e dos relógios
saem as borboletas.

Um metamorfosear doce e lírico.

beijos!

:)

Poeta Matemático disse...

E os dias vem e vao, com os seus ritmos...
Mas so o amor permanece eterno e residual, dando seu tom ao tempo...

Tu es fantastica, sou seu fa...

Abraços

Jefferson de Souza disse...

Nossa!!! Lindíssimo, Nanna qrida!!! Adorei!!!

=*

Jú pestana disse...

Relógio?! Que se danem os ponteiros, esses malditos congeladores de vida!!
Lindo, Nana!

Coisas novas por aqui, né?!

bjos.

Mary disse...

Lindo isso, Nanna!

Estamos sempre mudando como as estações... :)

Bjus!

moacircaetano disse...

...e o mundo (e a vida) gira!