segunda-feira, outubro 16, 2006

Trajetória

Um dia tracei caminhos
Alicerçados em pedras-palavras.
Frases, orações e períodos completos,
Formataram sonhos e viraram versos.

E andei... Andei como quem nada quer.
Até encontrar no meio do caminho
Motivos que me fizeram voltar.

E voltei... Voltei como quem busca voltar.
A trajetória quase finda
De mão única perdida
Não mais me deixava sonhar.

Então percebi que
Devagar devia escrever
E divagando voltei
E reescrevendo novamente
Perdi-me.

8 comentários:

Jefferson de Souza disse...

Valeu a pena esperar! =)

Aline qrida! Adorei este escrito! Até pq me vejo no cenário! Não no mesmo, mas em um semelhante...

(Vc acaba de me dar 1 trajetória pra meu próximo escrito!)

=*

Múcio Góes disse...

humm ponto de desencontro... estamos sempre voltando ao mesmo não-lugar.


Muito bom!

bjo.

Nanna disse...

Dear, esse tah de lascar...

Monte de beijos...
:)

Leandro Jardim disse...

encontrei um caminho
mas não a mim
segui andando mesmo assim

perdi-me nas vias
e me achei na poesia
e parei para olhar o caminho


muito bonitinho!
bjard

Bill disse...

Caminhos da vida, estradas do amor... Quem nunca se perdeu quando lá se acha uma flor...

É bom de perder... Para quem sabe alguem achar =]

Lindo demais =]

:***

Poeta Matemático disse...

O Escrito se reescreve e surpreende. o Escrito vive só, se recupera, se locupera...

O Escrito é um homem, pensa só, vive, é uma mulher, andrógino...

O Escrito ressuscita dentre os mortos...

E tem vida eterna...

sandra disse...

Trajetória nunca é linear... por que será?... Belo poema, moça... bjos

Rayanne disse...

Mas a poesia te encontrou,
e em ti há de ficar.

**Estrelas**