segunda-feira, outubro 09, 2006

Estranhas Entranhas


Há dias em que minhas palavras
Simplesmente desafiam-me.
Em outros apenas
Acompanham-me.

Em outros dias apenas
Azucrinam e balbuciam
Significados dispersos
Em caminhos diversos.

Alimento-me de metáforas
Soltas no eco do verso
Fincadas em absolutas
Mentiras poéticas.

E ao nada chego,
Em tudo disperso
E em círculos
Permaneço.

Desafiadas e desafinadas
São as palavras que
Brotam
Ultimamente...


Entranhadas em mim
Estranhamente.

10 comentários:

Leandro Jardim disse...

Conheço bem o sentido sentido!
Sentido e bonito!
E de duro convívio...


bjs bjs

Poeta Matemático disse...

Engraçado

Sempre tem um pingo de matemática aí nas tuas coisas...

Mesmo que seja só uma pincelada...

Eu acho isso fascinante, até porque eu que sou matemático não consigo fazer isso muito bem...

Outro excelente texto...

E, pra quem faz o template, achei muito bom...

Abraços

Anny disse...

Olá!!!
Fiquei encantada com os textos/poemas, são maravilhosos, parabéns!! Todo o conteudo está de divino!
Uma ótima semana a tosdos(as).
Bjks no core

Nanna disse...

Palavras em dia[s]...

Beijos, dear...
:)

Jefferson de Souza disse...

Nossa!!! Lindo!!!

Palavras, palavras, palavras... Como me fascinam...

=*

marcia xavier disse...

Mentiras poéticas....
Amei o termo!
bjos
:)

Mary disse...

Lindo, Aline!

Palavras estranhas, mas soam tão belas...

Bjus!

Larissa Marques disse...

Oi Aline, já que é de Brasília e tem boa poesia, entra em contato comigo, tenho um fanzine e estou pensando em uma edição especial, com escritores daqui!
Beijos!

moacircaetano disse...

há dias em que elas são perfeitas, como hoje!

Maia disse...

Pelo menos em ti elas ainda brotam. Em mim, nem isto. Até.