sábado, outubro 07, 2006

PAUSA

as crianças se agruparam
pra brincar
de esconde-esconde


ao longe
o sol lhes serve
de claro chapéu

réu
de minhas poucas horas raras
e caras

paro em meu horizonte o agora
e despeço-me num carrossel...

6 comentários:

Múcio Góes disse...

brincar, verbo feliz. e segue a vida, esse carrossel de ilusões.

[]´s

Saramar disse...

Sabe o quanto me emociono com seus poemas. Porém alguns são mais, são maiores.

Tocante, essa pausa, essa saudade da infância e a impossibilidade do retorno.
É lindo e um tanto triste.

beijo

Nanna disse...

Pausa-de-volta!

Fofo, dear!
Beijinhos...
:)

Mary disse...

Deu saudade de quando brincar na rua era seguro e divertido...

;**

vanessa_fmc disse...

Belo!!! Pausei pra relembrar... Beijos!!!

Leandro Jardim disse...

Lírico, belo, deu saudade da infância! Muito bonito, meu caro poeta!

Abraços
Jardineiros