quarta-feira, outubro 18, 2006

sou bem capaz
de arremessar
meus versos,
rasgar
meus escritos,
inundar
meus dizeres...

[o capricho
aprisiona-me
quando acordo!]

11 comentários:

Poeta Matemático disse...

Sim...

Às vezes eu sinto isso...

Mas os versos me perseguem...

E eu fico lá..

Escravo

André disse...

és a dona de teus dizeres!

Fernando Rozano disse...

Belo texto. Verdadeiro, mas sempre nos recusamos o ato extremo. Assim, a escrita sempre vence. Abraços.

Leandro Jardim disse...

Ha! muito bom, adorei! o final cresce muito o todo! Genial!

bjs bjs

Mauricio disse...

Oi!

Muito legal, gostei.

Não sou bom em fazer grandes análises literárias, apenas gosto ou não. E gostei deste.

Bjs

Clauky Saba disse...

adorei seus versos!!! no capricho!

poetabraços

Múcio Góes disse...

vc é capaz,
nem menos
nem jaz!


Beijos.

Jefferson de Souza disse...

Só em sonho?

Rayanne disse...

és mesmo capaz,
te arrepiam prazeres,
basta um sinal,
e a ti se curvam quereres.

**Estrelas, bela**

Aline disse...

Não tem coisa melhor do que ser escravo das palavras.

Bjos

:)

Mary disse...

Se renda ao capricho. E depois o rasgue também! ;p~

Bjuss