segunda-feira, novembro 13, 2006

Auto-Retrato

Sou terra seca
De chão batido
De veias a mostra
Retrato de aridez.
Sou página branca
Com linhas tortas
Onde o escrever
Nunca virá.
Sou nuvem negra
Pesada e turva
De um temporal
Que estar por vir.
Sou côncavo
Sou convexo
Ordem sem nexo
Música sem melodia.
Há um buraco
Negro e úmido
Onde renasço
Todos os dias.

9 comentários:

Poeta Matemático disse...

Lindo...

Autoretratos sempre são bons..

viva
viva
viva

diovvani disse...

Renascer todos os dias, é o que sempre quero. AbraçoDasGerais.

Rayanne disse...

Renasc endo sempre, emtodas as faces da mesmo poesia. Linda, assim.

**Estrelas**

Múcio Góes disse...

sempre falto, no meu auto-retrato.

belo.
bjo.

mary disse...

Lindo, Line!
Intenso! :)

Bjuss

Nanna disse...

Tô sabendo qualé, parceira querida...

Monte de beijos de saudade de conversar...
:)

Jefferson de Souza disse...

Sei que há vegetação nessa aridez
Sei que há harmonia nesses sons
Sei que há arco-íris nesse toró
Sei que há poesia nessas linhas

Eu sei! Eu vejo!

moacircaetano disse...

se morre, se nasce, se renasce...
renova-se!

Leandro Jardim disse...

Renaça essa belezas que flora
sempre