segunda-feira, novembro 27, 2006

(in)verso.

Há dias que tento
Plantar meu lamento
Para ver brotar
Um choro,
Meu samba e
Teu tormento.

Mas o solo é fértil
Só nascem flores
E doces canções
Então desisto.

Volto ao palco,
Releio os textos,
Refaço os diálogos
E descubro novos personagens...
Escondidos em mim,
Clamando por luz e voz.

Sou rima dispersa
Em solo infértil.
O meu desistir é sempre
Meu persistir é (in)verso.

8 comentários:

Poeta Matemático disse...

Uia!

Persistir

Mesmo q seja na base da pancada

Muito bom..

Beijozõezaços

Nanna disse...

Um dos meus preferidos, amiga...

Monte de beijos de saudade!
:)

-=|Åñð®ë§§ä|=- - disse...

Muito bom o poema!! Parabéns!

Principalmente o último verso, super criativo.

bjus

Juliana Marchioretto disse...

texto lindo, lindo...

beijo

Juliana Pestana disse...

e mesmo na terra seca consegue brotar poesia
porque a semente é úmida e ultrapassa o solo
...

Leandro Jardim disse...

hmmm, coisa boa! Finalzinho chave de ouro!

desistindo ao inverso
persiste no verso
desfaz o perverso
e conversa o que faz


beiJardins

mary disse...

Lindo lindo, Line!
Como só vc sabe fazer... ;)


Bjusss

Sandra Regina de Souza disse...

Perfeito, moça!! Que bela a estrofe final!!! Bjosss