quarta-feira, novembro 29, 2006

as línguas enlaçadas,
distintas e imediatas
são o nosso idioma de
afeto. e o testemunho
de vidas persiste nos
encontros que separam
nossos corpos em voga
cravados pelas dores,
do suor e da lástima.

9 comentários:

Juliana Marchioretto disse...

texto lindo, inspirado e inspirador.

beijo

Poeta Matemático disse...

Erótico, forte, decidido...

Línguas de fogo...

Muito bom...

Ana Paula Russi disse...

Concordo com o Poeta matemático...
sensual..
AP

Leandro Jardim disse...

lastima
o que estima
que lágrima
não vem só
de lástimas
vem também
de quando se está por cima
que é outra das sinas


lindin d+
beiJardins

Múcio Góes disse...

língua sempre instiga, ne? rs

belo.
bjoss!

Juliana Pestana disse...

tá tão profunda...

momento de sentimentos a flor da pele, alma em pétalas, língua na carne!

moacircaetano disse...

adorei!
principalmente o trabalho cuidadoso com a forma!
beijos!!!!!!!

mary disse...

Adorei a forma tb.

Línguas que nos fazem suar... ;)

Bjuss

Sandra Regina de Souza disse...

Adoro essa sua intensidade... Lindos versos, moça!! bjos