domingo, novembro 12, 2006

DESBELEZA

Me indicaram dois significativos poetas contemporâneos.
Os livros comprei em livrarias.
Os significados devo ter deixado cair no caminho de casa:
perdi.
A idéia é que esses dois me dariam a dimensão de dois
extremos do que é valorizado na poesia hoje.
E eles me disseram muito:
nada.
(Em se considerando a infinidade de possibilidades
que o vazio proporciona...)

Provavelmente estou sendo injusto.
(Fora duas ou três sacadas que embolsei...)
Mas deve ter sido minha ignorância
a verdadeira causa da desutilidade e desbeleza
das palavras tais.
Ou estaria na outra ponta o defeito?
Vejam como sou problemático:
uso a palavra defeito em poesia.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
hoje vou indicar o bom pagode "Chega" da Mart'nalia

10 comentários:

vanessa_fmc disse...

É a sua cara essa poesia! E o pior é que eu adoro quando você externaliza essas contradições... Ficou ótima!!!!!! Beijo grande!

moacircaetano disse...

É, amigo...
Quantas vezes não me encontrei nessa mesma situação... rs...

Octávio Roggiero Neto disse...

Até que enfim, Jardineiro, até que enfim encontro alguém que ousa pensar e contestar as palavras soltas a torto e sem compromisso! Acho que estes dois nomes vazios fizeram bem pra você!
Té mais ler!

Marcellinha disse...

Concordo c/ os 3 comentário acima: é a sua cara, e também sinto isso!
Bjs bjs

Tahkren disse...

É assim mesmo.
Serviu de poesia, hehehe

diovvani disse...

ihihih camarada! eu também devo sofrer de iNgnorância.

Rayanne disse...

É que o contemporâneo veio assim desmontado, desconstruído, desbelezado. E o concreto e o amargo se misturaram dando o tom da nova poesia. Fiquemos nós na nossa bendita ignorância, cultivando flores-seres para borboletras.

**Estrelas, seu moço**

Múcio Góes disse...

Já senti dessas dores, algumas vezes, caro Jardim. É da vida.

[]´s

sandra disse...

Adorei "a infinidade... que o vazio proporciona"... vou tentar me encher dela! bjos

mary disse...

Fiquei curiosa pra saber quem são os dois poetas... hehehe ;p~

Muito bom!

Bjus