quarta-feira, novembro 01, 2006

[um dia frio poderia
ser tão convincente
a ponto de desgelar
os arrependimentos,
distrair banalidades.
mas o vento-esperto
não deixa eu dormir
e sonhar-você de novo]

10 comentários:

Poeta Matemático disse...

Romântico...

E simples

Múcio Góes disse...

doce...

um poema!

um bjo.

Jefferson de Souza disse...

Que tal fechar a janela? =P

Maia disse...

Esse vento danado sempre encontra uma fresta por onde se esgueirar. Conheço-o bem. Mas agora ele começa a esquentar...Até.

Ana Paula Russi disse...

hoje... pegadas aqui.

Querida Poetisa, música é minha vida, e o silêncio também, pois não é a anti-música, e sim sua geratriz.

Bom fim-de-semana.

AP

Juliana Pestana disse...

um dia frio poderia convercer até ao gelo de estar quente... mas o que fazer quando colocamos a consciência a frente dos nossos desejos?

bjos meus.

Leandro Jardim disse...

Hmmmm... perfeito!

sandra disse...

Adorei "distrair banalidades"... Belo poema!!! beijos

André disse...

no frio a saudade aumenta. Beijo!

Mary disse...

E eu lembrei da canção do Djavan:

um dia frio
um bom lugar pra ler um livro
e o pensamento lá em você
eu sem você não vivo...



:)