segunda-feira, novembro 20, 2006

Manual

Tenho asas
E um nariz vermelho
Chamam-me de sonhadora
Mas única coisa que faço
É plantar utopias em meu jardim.

Escuto música francesa
E sou metida a poeta...
Imagino-me em personagens,
Nada convencionais,
E por acaso me perdi...
Em uma estória sem fim.

Durmo com travesseiros
Costurados com nuvens de sorrisos...
Em meus sonhos,
Gotas de algodão doce
Acariciam-me com beijinhos e carinhos.

Quem sabe um dia
Entre pela minha sempre e aberta, porta,
Um nocivo...
Para ao meu lado sentar-se e rir
Das minhas piadas sem graça
E comigo estar, em minha estória sem fim.

8 comentários:

Poeta Matemático disse...

Ficou bem infantil..

Mas com um toque de suavidade que desconhecia

Viva
Viva
Viva

Rayanne disse...

Alhi,

Linda linda, assim, simplesmente fantástica, como se fosse a coisa mais corriqueira!

E um noscivo que se apresente pode ser lascivo e que também esquente...

***Estrelas***

Laconicidade Máxima disse...

Bom!

Leandro Jardim disse...

Puxa adorei isso
possui uma bela singeleza
assim como aquela
que também te possui

beJardins

moacircaetano disse...

ah, se toda mulher viesse com manual... rs...
beijos!

Nanna disse...

Você é meiga mesmo, amiga!
;)))

Adoro tu!

Monte de beijos...

Múcio Góes disse...

algo tão doce, como algodao doce, só podia ser poesia.


belo.
bjo.

Juliana Pestana disse...

Que doce, Aline!!!
Gostoso demais seus versos.

*
*
*

Torço para que esse encontro seja em breve e te pegue desprevenida com a brisa...

bjos meus.