domingo, maio 20, 2007

CONTA-GOTAS

Eu poderia contar as lágrimas
como se conta-gotas,
mas prefiro beber o mundo
de outra: num gole só,
matando a sede, e tudo,
em cada pingo de suor.

11 comentários:

Marcos Côrtes disse...

ação ou reação, dois lados da mesma moeda. Beber o mundo ou nele se afogar.

Dois temperamentos nos compõe.
Interessante ; )

Alice Sant´Anna disse...

bebi num gole só :)

muito bom, leandro! adorei o blog.
beijo

Luzzsh disse...

Isso! Beber da vida com intensidade, como alguém que espera nunca mais ter sede...

:*

Beijos, jardinzíssimo...

Juliana Pestana disse...

Eu prefiro me dopar de um grande gole dessa viciante vida.
E que as lágrimas lavem a vaidade de querer ter tudo...

Ricardo Rayol disse...

Os comentários acima dizem tudo.

Aline disse...

Versos cada dia mais apurados.
Muito bom, querido Jardim.

:*

Larissa Marques disse...

Já li esse no Bar, lembra? Mas vou dizer, mesmo a conta gotas me interessam os sentimentos, todos eles!
Beijo!

Mary disse...

Delícia quando a gente consegue matar a sede assim... :)

Beijoss

da gaveta disse...

uhm, me lembra algo que eu escrevi... "chegou a hora de beber a vida num gole só".
é bom, a sede morre e a vida não te mata.

Antônio Alves disse...

Escapamos da dor sempre em nossa cachaça metafórica.

Parabéns pelo projeto deste blog, muito inovador.

Um forte abraço!

Anônimo disse...

Muito bom ! Um poema que em poucas palavras inspira diante da adversidade e motiva viver.

teu pai