quarta-feira, maio 09, 2007

DE TI NADA SEI…

De ti nada sei…
Apenas penso em ti
Sei que estás nalgum lugar
Há minha espera
Anseio por ti
A toda a hora
A todo o instante
Preciso de ti
Fazes-me falta,
Meu amor…
Que solidão que sinto
Com a tua ausência
De ti nada sei…
Só sei que preciso de ti
Para preencher o vazio
Que existe em mim
Como sofro meu amor
Como te quero!
Sejas tu quem fores…
Vem depressa
Aquecer o meu coração
Com o teu calor
De ti meu amor…
Nada sei…

Mário Margaride

________________________________________________

Leiam e deliciem-se!

http://avano2006.blogspot.com/

10 comentários:

Mário Margaride disse...

Olá Nanna!

Muito obrigada pelo convite que muito me honrou.
É com muito prazer, que aqui colaboro na divulgação da poesia.
Em que neste espaço fantástico, é um exemplo dessa mesma divulgação poética.

Um bem haja, a todos os colaboradores deste belo blog!

Um grande beijinho Nanna

Leandro Jardim disse...

nada sabes a não ser do amor!!!
e poesia-o...

:D

seja bem-vindo!

abraço Jardineiro

Ricardo Rayol disse...

Esse nada de saber é um delírio ao qual nos entregamos sôfregos. Maravilhosa escolha.

Mário Margaride disse...

Por vezes estas incertezas, nas quais procuramos o amor...encontramos nelas, o nosso grande amor...

Abraço, Ricardo

Mário Margaride disse...

O amor acontece, quando menos esperamos.
Por vezes...está mesmo ali, à frente do nosso nariz. Só que nós, não estamos a ver não.

Abraço Leandro

Maria disse...

Boa escolha para convidado, boas coincidências que me trouxeram a este espaço. Tudo de positivo num grande poeta como o Mário Margaride que sabe falar de sentimentos como ninguém e que nos faz acreditar que é possível sonhar e viver.

Lusófona disse...

Sou fã desse Poeta e Amigo que tantas vezes proporciona-me emoções com os seus poemas!

Beijos

Mary disse...

E este não saber faz com que a gente sempre queira saber mais um pouco... E essa sensação é boa!

Beijos!

Saramar disse...

Conheci o Mário aqui no 7 Cabeças e nunca mais deixei de lê-lo.
É lírico e belo o seu dizer do amor.
É sempre um prazer revê-lo aqui.
Beijos

Aline disse...

Belíssimas e adoradas palavras.

Linda a escolha lusitana!

Bem-vindo, Mário!

:)