quinta-feira, maio 31, 2007

Bússola

Muita gente anda
nesse mundo
sem se importar com nada
Sem rumo
- Minha bússola...
Simplesmente
se joga no mar
de azar
desse mundão
sem mapa
sem norte
na sorte
- Perdi minha bússola!
Não gosto de andar
sem rumo
nessa vida
Parece que eu tô sempre
andando em círculos
- Mas como?
Poderia perder minha memória
Aos poucos, talvez
Se eu não reconhecesse os lugares
Se nada ficasse
eu não me importaria
- Mas onde foi que eu perdi essa bússola afinal?
Sigo meus instintos
para me guiar
Quase sempre isso não funciona
Meu guia é péssimo
- Como é que eu vou sair daqui sem essa bússola?
Tô perdido

6 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Está mesmo.

Clóvis disse...

Eu, confesso, já procurei intensamente por esta bússola, por este caminho do sol.
Não existe bússola, meu caro.
Pelo menos, não este equipamento de orientação plena e sublime.
O que existe é a aceitação e a compreensão destes sentimentos.
Insanidade é evolutiva.
O jeito é respirar fundo e SENTIR, apenas sentir, ser apenas sentidos por dois ou três dias; assim vulneráveis podemos sentir as minúcias dos sentimentos e através deles encontrar novos caminhos, dar passos renovadores.



Encontrando e desencontrando o que há de ser deixado em si e no tempo...

Leandro Jardim disse...

Hehe...

segue o vento porque quem sabe é o tempo!

abraço
Jardineiro

Múcio Góes disse...

a minha está quebrada, e busco frestas para respirar.

[]´s

Aline Borges disse...

Quero perder-me sempre!

:**

Toh chegando :D

Mary disse...

Quem sabe depois de perder você não irá ganhar? :)

Adorei, Jeff!

Beijosss