sexta-feira, julho 20, 2007

A poesia (mente)

A poesia está na sala.
Nos restos em cima da mesa.
Inquieta e sedutoramente viva.

A poesia está no quarto.
Na poeira debaixo da cama.
Tranqüila e assustadoramente só.

A poesia sorri,
Debocha e diz:
- A poesia não está.

E assim a poesia descaradamente é.

9 comentários:

Erika disse...

Este canto de vcs é muito legal.
Tenho vindo sempre prá me colocar em dia com o que ainda não lí.
Cada dia leio um post anterior.
Adorando.

Parabéns.

Bill disse...

Descaradamente no canto do olho, no beijo doce e no sorriso bobo.

Esta ali, no ar, pairando sobre a luz e a sombra, ligando o mundo invisível ao toque...

Está... Em tudo e nada...

(=

Beijo dona moça.

:**

Leandro Jardim disse...

ótimo! adorei!

Pedro Pan disse...

, poesia sempre a brincar com todos. delirando...
, beijos meus.

Clóvis disse...

Morena, que fase encantada é essa?
Lindo o poema!
Instigante, revelador..


Beijos!

Múcio Góes disse...

e vc, amor, onde está, além de no silêncio gritando que "não"?

sumida!

saudades.

bjo.

moacircaetano disse...

A poeisa está nos dedos, na pele, nos olhos de uma moça morena, que me encanta e me faz sorrir... grande poema!

A czarina das quinquilharias disse...

palmas!
saiu incrível :)

Jefferson de Souza disse...

EXCELENTE, Ma qrida! EXCELENTE! =)

Bjão! =*