segunda-feira, julho 23, 2007

marasmo

Em falta e em desatino
Papéis voam
Emoldurando o marasmo.
Cadeiras vazias e quebradas
Aguardam visitantes noturnos.
Por mais que eu trema
Por mais que busque sentido
Tudo desfaz...
Acordo entre cordas
Surdas e sonoras
Num acordo profundo
Selado em segredos...
Cadencio e silencio
Batidas que ecoam n’alma.

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Se debate em um pantano de papéis em branco, à espera.

Leandro Jardim disse...

o crepúsculo
só se justifica
quando música

hehe, BeLine!

beiJardins

moacircaetano disse...

belo, bela!