quinta-feira, julho 12, 2007

O poeta esquecido

O poeta esqueceu
do poema
da arte
das feridas
dos combates
da bebida
da alegria
das dores
da agonia
do trabalho
da apatia
das maldiçoes
das ojerizas
das frustraçoes
das gozaçoes
das açoes
das razoes
das emoçoes

O poeta esqueceu
como se vive

O poeta esqueceu
também
de se suicidar

Mas o fez
de propósito
que é pro tempo
dar tempo
d'ele lembrar
do que tanto
ele esqueceu

4 comentários:

Leandro Jardim disse...

azedinho e delicioso como chiclete!

moacircaetano disse...

O poeta só não se esqueceu como escrever!
Fueda como sempre!
Abraço, Fejão!

Jefferson de Souza disse...

Aê, acho que ele lembraria como se morre...

Aline Borges disse...

JEFF!

Me lmebrou morte vida stanley, do cordel do fogo encantado!

AMEI!

Bjos.