segunda-feira, agosto 04, 2008

destarte

Me beija me pesa me esmaga
deixa eu ter
o ainda não tido
Me cala me morde me rasga
eu nem faço caso
do meu vestido
Me acende, me inspira, me traga
a si próprio despido
Me fere, me amansa, me mata
até eu me esvair em sangue
de amor
correspondido*.

---
* sangue de amor correspondido é nome de um livro do manuel puig. roubei, roubei.

13 comentários:

Aline disse...

deu vontade de voltar a fumar
fumar-te.

viu como é fértil? :p

Sabrina disse...

já disse que sua poesia é incrível?

Nadja disse...

Lindo!
Romantico e sensual ao mesmo tempo!


Bravo!

bjosss

Thiago disse...

muito lindo e sensual !! Excelente !

Grazielle disse...

sensacional! Puro desejo!

Sandra Regina de Souza disse...

quente...quente!!! Delicioso! ai... amei! Beijos

alex pinheiro disse...

Eita! Sandra Souza não é rosa madalena, mas exalou a letra sexy da excitação gostosa, rs

Se bem que pra Czarina, perdida em quinquilharias, esse "desafio" não é assim tão truncado,,, Quero ver pros outros! hehehe

Bjs e comemoradas invenções!

Márcio disse...

Roubou não, releu! Hehehe

Yara disse...

O poema é sentido.
E eu nem faço caso
dos meus perdidos
rasgados
sentidos.

moacircaetano disse...

afe!
clima oh so hot!

J.F. de Souza disse...

¡Caliente! ¡Así me gusta a mí! =P



Adorei, Czá!!! Lindo!!! =)


=*

Mary disse...

Lindo!

Múcio L Góes disse...

ardente.

:*