terça-feira, agosto 01, 2006

noite a dois

Acordei com um poema ao meu lado,
a sorrir-me complacente,
assim como sorri quem sente,
um desejo contemplado.


Era um poema, simplesmente,
de estrutura harmoniosa,
e um trejeito atraente,
com cara de quem já foi prosa.


Tinha um calor malogrado
um certo cheiro de puta,
cheiro de quem vai à luta,
e que lutou ao meu lado.


Ficamos ali nos contemplando,
como a lembrarmos de ontem,
num calar eloqüente esperando,
o que os lençóis nos contem.


E no silêncio que fez crescer,
dentro daquela mudez combinada,
saiu-lhe esta frase cansada:
“e aí, foi bom pra você?...”

12 comentários:

Nanna disse...

[sexo-verbo-casual!]

Amo vc,
beijos...
:)

Jefferson de Souza disse...

Escrito excelente, mr Múcio!
Uma poesia boa, atraente, safada... =P

1[]!

Valéria disse...

sempre é bom quando o poema goza...
beijo

Mendoscopia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mendoscopia disse...

Muitoooooo bom!
Se todos pudessem saber o que é ter um poema ao seu lado... se todos conseguissem passar a plenitude nos seus versos...
Parabéns!

Jú Pestana

vanessa disse...

"Era um poema, simplesmente,
de estrutura harmoniosa,
e um trejeito atraente,
com cara de quem já foi prosa"

Está tudo muito bom, mas esse trechinho ficou especial! Beijos!

clarice disse...

um poema faceiro
um poema fagueiro
um propositado poema.
beijos meus

Keila Sgobi disse...

só você reconhece o valor da prosa...

só bons poetas são capazes disso...

goxtosinha poerosa...

bjo

Mary disse...

Tenho certeza que foi! :)

Adoro.

Beijos!

Maia disse...

Caro Múcio, que primor!
Eu, que da poesia só entendo mesmo da contemplação e do sentir, vou responder-te: foi uma experiência gostosa.
Até.

moacir disse...

uau!!!!!!!!!
exatamente o tipo de poesia que adoro!

Aline disse...

É!

E tem o que escrever depois de ler essa obra de arte?!

Eu passo.

L.I.N.D.O.

:*