sábado, maio 09, 2009

Selva

Pássaros
formigas e folhas
artigos e abacate
conselhos e contratos

espelhos
pés que correm, mãos
que tocam outras mãos
pregos
cravados em dorsos
estacas nos olhos
espinhos no chão

estanho
outono e algo
de sonho e sinto
teu rude esgar

e por mais que me toque sua sublime remissão
não consigo mais que esboçar um forçado sorriso
e cumprimentar-te, com olhos de iguana.

3 comentários:

J.F. de Souza disse...

Eu me perdi

Múcio L Góes disse...

é o dia-a-dia... selva!

=]

Aline disse...

Lembrou-me, o Jobim...

senti o cheiro da mata.

bjo, amor.