quarta-feira, maio 13, 2009

tome tino

para com esse lero-lero
de vem cá, que nem te quero,
corra muitas milhas,
até voe, se preciso for,
vá da Conchinchina ao Equador
tome tino
e me tire de vez
dessa tua morte vida,
Severino.
avec Galego.

5 comentários:

J.F. de Souza disse...

EXCLENTE, ALHI QRIDA!!! =D

=*

moacircaetano disse...

que delicioso esse pula-pular,amor!
saudades!

moacircaetano disse...

que delicioso esse pula-pular,amor!
saudades!

Nadja disse...

Coisa de gênio isso!



beijos

Sandra Regina de Souza disse...

Hum...Gostei disso, moça! Parece servir pra recepcionar nosso poeta-substituto!..rsrs...bj