sábado, dezembro 02, 2006

TODA

Ah, aquele beijo
(que beijo...)
que me abriu as pernas
e me enfiou o desejo
(que beijo...)
fresta por entre as grades
por onde me entrevejo
(que beijo...)

Ah, aquelas mãos
(que mãos...)
que me percorreram inteira
com força e tesão
(que mãos...)
que me entrecortaram
a respiração
(que mãos...)

Ah, aquele dia
(que dia...)
que me fez mulher
que me fez vadia
(que dia...)
que me amarrou ao pé
da sua poesia
(que dia...)
e até hoje não sei
se é meia-noite
ou inteiro-dia
(que dia...)

11 comentários:

Jefferson de Souza disse...

Uaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaau!!!

Grande Moacir!!!

(Que poema...)

1[]!

Múcio Góes disse...

Putz! Numa voz feminina, este poema-canção (que canção...)


[]´s

Leandro Jardim disse...

é chico buarque da poesia... belo canto, meu caro.

cadê o dia
do "que dia!"
que sentia
e a pouco revia
revelando
tal "que dia!"
talvez amando
ao que entendia

abra~ços jardineieieiros

Sandra Regina de Souza disse...

Moacir: O homem de faces poéticas intensas e várias... que delícia ler esse eu-poético tão idêntico ao meu ego! (pulsa aqui uma imensa vontade...rs) beijos

Anônimo disse...

eu-lírico feminino. Tudo de bom, tdo de Chico, tudo de Moacir(se me permite dizer).
Parabéns pelo lindíssimo poema-canção.
bj, Gisele

Nanna disse...

Que tudo!

Beijos...
:)

Keila Sgobi disse...

De quem é esta delícia?
Sua?

Bjs!

mary disse...

Que delíciaaaa! :)

Adorei.

;***

Marla de Queiroz disse...

Seu Poeta Lindo!!!!!!!!!
Cada vez mais fã.
Teu versos ecoando na alma aqui do outro lado.
(Que versos!)
Lindo, lindo.

Rayanne disse...

Fantástico.

E eu muda, imaginando-o declamado numa voz feminina, grave e escura.

(...)


**Estrelas**

IsaBellinha disse...

Genial, parabéns meu caro!