sexta-feira, outubro 17, 2008

marina

crio âncoras neste mar
que não me deixam partir
faço uma prece à Iemanjá
para que desembarques no meu cais
e faças morada no meu ventre

6 comentários:

Delia disse...

Só sendo poeta, pra ser exatamente "Marina".
=)Linda.

Henrique disse...

e o nome da poesia? Oo
uhuuu!
ehhhehe
bjuss

moacircaetano disse...

ah, navegar
no mar inadiável...
amar inadvertidamente
o fogo
na marina incandescente!

aline disse...

e para sempre.


(L)

Múcio L Góes disse...

cá entre nós,
entre,
faça seu cais
no meu ventre.


show de mah...

;)
:*

J.F. de Souza disse...

Sem palavras... Só bajulações!

MARAVILHOSO!!!