quarta-feira, novembro 12, 2008

e nesse meu universo
(nada convencional)
sou interna
prisioneira
atenta a cada detalhe
sentindo
um viver à flor da pele
nessa atmosfera
red and green
submersa
e à procura de um ser latente
(tão quanto eu)
um elemento
que componha e me decomponha
em frações
em frascos
em notas de fracasso
que desvende
e não se esconda
em álbuns velhos
em fotografias de terceiros
enquanto fico
enquanto sirvo
de modelo vivo
para um pintor de vidro.

como a aline não estava conseguindo postar,
estou pondo o poema dela.

14 comentários:

Múcio L Góes disse...

amelie poulain?

hum...

:;*

moacircaetano disse...

Achei que era Alien, depois achei que era O Quinto Elemento... rsss...

aline disse...

¬¬

J.F. de Souza disse...

Hauhauhauhuahuahuahauhuahuahua...

Eu não me pronuncio! De novo!

Sandra Regina de Souza disse...

Acompanho sir Múcio: O "delicioso" destino de Amelie!...

Sandra Regina de Souza disse...

ps. o poema está lindo!!!!!!!!!!!!!!!! valeu, Aline! Parabéns!

A czarina das quinquilharias disse...

é, por ser a line eu tmb chuto amelie.
:)

Mary disse...

Linda escolha! :)

Amo!

:*

(l' excessive) disse...

Red and green... são as cores constantes no Amelie.
Fotografias de terceiros, tb. é uma dica. Eu aposto no Amelie

Beatrice Jasmin Noire disse...

Ahh adoro este filme... E seus vermelhos e verdes...

J.F. de Souza disse...

É... Verdade...

Como foi que eu não pensei nisso antes? =P

Delia disse...

amo. muito.

ficou linda a poesia, bela forma de relembrar esse filme perfeito.

Anônimo disse...

Tão belo...
Tô com o povo daí de cima: Amelie.
Marcia

Anônimo disse...

Um dos meus filmes preferidos...fabuloso!

Perrrfeeeito! Ficou lindo!

bjs
Déia