domingo, novembro 30, 2008

Não é só poesia

Não é só poesia
O que escrevo, gente
Não é só poesia
Escrevo
para que me leiam
para que me escutem
para que me entendam
Escrevo
para me libertar
para me dispersar
para não pirar
Não é só poesia
É mais do que isso
É beleza
em meio à tristeza
É razão
em meio à tanta loucura
É mensagem
em meio à poluição
de idéias confusas
É catalisador
É assim que eu cato
toda a bagunça...
É bagunça organizada
É idéia solta
querendo ser pega
É sentimento
querendo dispersar
É a expressão pura
das idéias
dos sentimentos
dos pensamentos
de tudo
É Arte!
É isso que a Poesia é!
A Poesia
Não é só poesia
Ela impressiona
por si só
quem simplesmente a vê
Ela impressiona
pelo misto de sensações
que pode despertar
em quem a absorve
Mas a Poesia, gente
Não é só poesia
O que eu escrevo
É confuso
É sincero
É agressivo
É analítico
É melancólico
É belo
Um misto de
sentimentos
idéias
pensamentos
dispersos
que buscam compreensão
muito mais do que impressionar
O que eu escrevo
Não é só poesia
O que eu escrevo
Sou eu!

12 comentários:

Pavitra disse...


agora é vc quem admite que busca compreensão!! :)

claro, o que escrevemos é o que somos!

J.F. de Souza disse...

Mas é claro que eu admito! =)

Mas eu sempre achei que eu fosse o único... =P

Cosmunicando disse...

como assim, o único? hehehehe

gostei desse texto!

J.F. de Souza disse...

O único a admitir isso!

Christi Xavier disse...

Gostei da forma que descreveu que nem tudo que escrevemos é poesia, mas é uma fuga, é um achado, é uma válvula de escape, nem todos conhecem a força da escrita, psicológicamente firmada em dados concretos, que ajudam tantos a colocar pra fora, traumas, medos, anseios...enfim...

Li seu post na Fer, espero que não esteja triste, se tiver, chore, faz bem,

Sua nova amiga

Christi.

Henrique disse...

me fez sorrir... e isso é difícil!

gostei de ver uma mulher nua gargalhando bem aqui:

É idéia solta
querendo ser pega

tudo haver...rs


Muito bom, isso seria legar interpretado por um ator... ficaria interessantíssimo, tem muito ritmo, me pareceu enumeração, pois tem respiração ofegante!

Parabéns!

O problema de explicar poesia é que no fundo sabemos que somos todos iguais e tentar expressar essa individualidade é meio que negar nossas semelhanças, somos todos filhos da mesma cultura. Mas o seu "poema" se posso dizer assim foi muito gostoso de beber.

Marrí disse...

Sua poesia é a essência de você!

Linda!! Lindo!!

Um beijo e semana cheia de cheios...

Diana Borges disse...

vocÊ é arte!

;)

alma na garganta disse...

arte que ajuda a por pra fora as dores de forma acariciada...

gostei mto.

bjo.

Nadja disse...

Lindo!Lindo!Lindo!


:)

Mary disse...

E isso é maravilhoso!

Lindo, Jeff!

:*

moacircaetano disse...

As poesias somos nozes...