domingo, abril 29, 2007

INGLÓRIA

é simpesmente dor
e sem origem clara
ímpeto livre de rubor
nítido pesar na cara

fugidios olhos, falsa sonolência
arregalo de ardor
úmida ardência
frio ar de não supor

nem clip musical da vã memória
ou edição de fatos à contemporânea
nada explica o mal da hora inglória:
a dor, a dor, a dor é momentânea?

10 comentários:

Marla de Queiroz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marla de Queiroz disse...

Há dores simultâneas...

Anne Baylor disse...

Leandro...
Dor.. Momentânea??
Sim, sim..
Enquanto uma vai..
A outra está chegando..
A gente se acostuma e vai vivendo..
Quando quase nao se sente mais nada,
vem outra dor se anunciando..

Bjo na alma.

Jefferson de Souza disse...

Ah, essa dor sem origem clara...

Momentânea... E intermitente...

1[]!
-------------------

PS: Sim, já tô de volta! Mas por pouco tempo. Volto pra Lima dia 14-MAI, pra ficar mais umas 4 semanas...

diovvani mendonça disse...

... e paridora de poemas.
AbraçoDasMinas.

Ricardo Rayol disse...

Uma dor momentanea dura extamente o tempo necessário para enlouquecermos.

Luzzsh disse...

Sim, sim, momentânea é a dor; assim como tudo o que há....

Beijinjardin! :)

paulo vigu disse...

O dia dói, a noite cura
a noite dói,a alma encrua
doença de alma reflete na pele
e o poeta captura.
Daqui a pouco sara. Riodaqui/Paulo Vigu

Múcio Góes disse...

inglória é a dor da memória.

massa!

[]´s

Juliana Pestana disse...

a dor é de quem sente
a dor é de quem ama
a dor é de quem vive
*
*
e ela dói o tanto que permitimos que ela doa...