sábado, abril 07, 2007

Minha queridíssima amiga Ady Cavalcante.
Poetisa bissexta, contista e artista de natureza.

Abandonou a poesia como amante enfastiado que abandona a mulher que sempre o amou.
Mas que enche sua prosa com poesia de primeira. Agora com um endereço a mais, quem sabe não retorne com os versos?
Aqui:
http://adycavalcante.blogspot.com

E aqui:
http://breveshistorias.zip.net

E aqui, um retrato breve porém contundente de seu talento:


A cura

Fizeram novena
Fizeram macumba
Até romaria
Lá pro Vaticano


Pra Santo Expedito
Promessa se fez
Oraram em coro
Pra não mais sofrer

Tanto pediram
Tanto rezaram
Que conseguiram
A dor de amor
Que mata, judia
É fera domada
Leão desdentado

É cão velho cego
Não late
Não morde
Nem cócegas faz
Não há mais tristeza
De amor não se morre
Não há mais poetas
Loucos desvairados
Nem quadros pintados
Com cores febris

São homens sensatos
Mulheres prudentes
Não sofrem, não sentem

Que vidas maçantes
Vivem sem amor

6 comentários:

Jefferson disse...

Na verdade, ñ existe cura...

Mas, nos dias de hoje,
até os placebos estao mais fortes...

Jefferson disse...

Ah! Excelente pedida, Moacir! 1[], meu caro!
É mto bom ver um poema da Ady por aqui! Bjao, mulher!

Marcos Côrtes disse...

Daquelas poesias que a gente guarda fácil, sem ao menos lembrar uma palavra.

Poesias falam de amor, e desamores e ex-amores. "Toda forma de amor".

Achei lindo, é algo que sentimos no mundo de hoje, um desejo humano que foi realizado?

Abs ; )

marcelo disse...

algumas entidades, como ady, gargalham poesia...

Leandro Jardim disse...

poema de mensagem contundente!

bem-vinda convidada! grande Moa!

Carla disse...

eu que de qdo em qdo, venho bater cabeça por aqui. Ao invés de sair ferida, saio renovada! Bela poesia da Ady!
bjos Moacir saudades, meu amigão!