segunda-feira, abril 23, 2007

.instante

Sou
Papel amassado
Jogado em sarjeta
Ensopada de chuva fresca
Aos poucos me desfaço
Em pequenos pedaços, memória,
Onde se lê dispersas palavras
De um passado incerto.

Apenas
Existi ali
Enquanto me desfiz

instante.

8 comentários:

Mário Margaride disse...

Lindo poema, Aline!

Parabéns!

Beijinhos

Cristiano Contreiras disse...

és a verdade intensa.

luzzsh@yahoo.com.br disse...

o suficiente?...sim, com certeza; certos instantes são eternos...

Beijo...

Luzzsh

mary disse...

Lindo! Instantes de poesia... :)

:**

Ricardo Rayol disse...

Um desfeito papel passado... ficou muito maneiro

fabio jardim disse...

o que somos além de instantes?

seu poema me ligou a outros vários pensamentos.

Leandro Jardim disse...

ah, seu lirismo:
triste "lindismo"


beiJardins

Sandra Regina de Souza disse...

que belo instante..nem parece passageiro... efêmero e duradouro... bjsss