segunda-feira, abril 16, 2007

.verbo

Tenho a alma velha
E a cada dia percebo
Que morro um pouquinho mais...

Meu leito é quente
Tenho o abraço moreno
E a lágrima de saudade
Que me adormece todos os dias.

No amanhã
Minha secreta morada
E na labuta
A certeza do que não quero ser.

Quero cercar-me de palavra viva
E nascer em outra realidade.
Embarcar em um sorriso
Aventurar-me em nova canção.

Meu tempo é ontem
E de passado eu vivo.
O hoje se fez refúgio.

11 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Um intenso desejo de mudança.. para tempos melhores e mais amenos..

Juliana Pestana disse...

Linda, Aline.

Agora jogue as folhas velhas para o alto e corra atrás das flores, mesmo fora da primavera.

Bjos meus.

czá disse...

pq o agora é sempre maior

mary disse...

O verbo é sentir...

bjus, line! :**

Ácido Poético disse...

Pra trás, pegadas no chão e poeira na sola do pés...
Belo poema.
Sds,
Bruno

Leandro Jardim disse...

"O hoje se fez refúgio" é muito bom!!!

às vezes também creio minha alma velha
noutras o contrário
deve tudo ser receio
o falta breve de calma

beiJardins

Ivã Coelho disse...

Ao tempo em que o tempo passa, já não sabemos onde vamos parar. A melancolia das palavras acertarmam-me em cheio, ando em dias em que me sinto perdido... Não sou do ontem nem do amanhã, pior q também não vivo o presente. Um ser sem ser.

Bela balada triste.

Marcos Côrtes disse...

De todos os tempos, os poetas sempre preferem (o) outro. Isso vem permeado a alma de todos nestes dias... Sem dúvida, a linda e única forma de manifestar isso, poesia. : )

moacircaetano, todo prosa! disse...

Não existe alma velha...
eterna, elas se fingem em máscaras e véus e coisas de adulto...
mas estão sempre crianças por baixo da poeira!
um beijo agradecido por um poema tão lindo!

Bill disse...

Hum alma velha mais eterna... que morre um pouco a cada dia e renasce mais e cada hora...

:**

Sandra Regina de Souza disse...

Nossa!! Lindos versos me molham de saudade!! Fico a pensar... vou levar esse poema por uns dias!! beijosssss